Laboratório Experimental de Arte-Educação e Cultura - Faculdade de Educação - Universidade de São Paulo

Av. da Universidade, 308 - Auditório Helenir Suano - sala 130 Bloco B - Cidade Universitária - São Paulo/SP

Site nutrido pelas experiências dos educadores-pesquisadores do Lab_Arte.

©Todos os direitos reservados

OS PRIMEIROS PASSOS


O histórico do lab_arte a partir dos alunos e alunas (texto de 2007).

PRELÚDIO

Iniciaremos este breve panorama histórico dos movimentos que antecederam a implementação do Lab_Arte pelo ano de 2004. Um grupo de alunos da graduação da FEUSP, acompanhando a disciplina “Cultura e Educação I”, ministrado pelo Profº Drº Marcos Ferreira Santos, percebeu a possibilidade de se valorizar e aumentar a quantidade de projetos relacionados à Arte-Educação e Cultura dentro de nossa faculdade.
Essa inquietação foi intensificada pelo evento “Memória e resistência: a educação pelo engajamento”, coordenado pelo Prof. Dr. Marcos Ferreira dos Santos e realizado pela AEP (Associação de Educadores & Pesquisadores), consistindo na exibição de filmes e em depoimentos de militantes da época da ditadura. 
Este evento proporcionou a reflexão sobre a resposta comprometida dos militantes à repressão ditatorial. O contato com o resgate deste tipo de atitude, mostrou-se a nós como uma abertura a esta postura ativa frente ao mundo dificilmente encontrada nos dias de hoje. No entanto, não pelo fato de ser desnecessária, visto que apesar de não vivermos mais sob um regime explicitamente autoritário, o desconforto diante da realidade é tão significativo o quanto.

Contudo, a nossa proposta de ação não se encaminhava para um confronto armado, ou ainda partidário. Tratava-se de uma práxis reflexiva direcionada a arte-educação e cultura, e voltada para o movimento de uma conscientização, através da reconquista dos espaços urbanos e do sentimento de pertencimento ao mundo.
Percebemos que a falta de comunicação e mobilização pode nos levar a uma situação de comodismo. Pensando em reverter essa inércia, reunimos pessoas com idéias similares e convergentes com o intuito de sair do plano da discussão para o da ação. Tivemos nossa primeira reunião no primeiro dia de aula do segundo semestre de 2004, com uma divulgação pequena reunindo cerca de dez pessoas e esboçamos o início do projeto.

Seguimos por duas vertentes: a divulgação e a criação de eventos. De início, ainda de forma pouco estruturada, organizamos um grupo de emails para efetivar a comunicação daquelas pessoas visando a esta difusão cultural. Sentindo a necessidade de um espaço mais acessível, construímos uma página na internet com sistema tiki-wiki – sistema que permite que qualquer usuário efetive atualizações no site, sem que se perca seu histórico.
Apesar de ter nascido de um pequeno grupo de estudantes, a intenção do movimento era de não se restringir a estas pessoas. A proposta era a de atrair toda comunidade, de um modo não centralizado, visando construir uma rede. Com reuniões espontâneas baseadas em relações não hierárquicas. Portanto, o Estopim não se caracterizou como um grupo de pessoas, mas sim como um movimento fluido que permeou as relações humanas e acendeu a chama para novos projetos.

O primeiro grande projeto foi a realização da “I Semana da Arte na Educação”. Alguns olhares receosos se voltaram para essa idéia inicial, como por exemplo, a lembrança da não realização da “Semana da Cultura Popular” no ano de 2003, por ser considerado um projeto alto custo, ou ainda a falta de tempo (menos de dois meses) e experiência que tínhamos para a elaboração do evento. Ainda assim estes contrapontos não nos desanimaram, pelo contrário, nos fortaleceram. 
Conseguimos organizar um projeto de custo mínimo e independente, graças ao envolvimento de educadores, arte-educadores e artistas que se dispuseram a contribuir com a efetivação da Semana. Tal acontecimento contou com uma intensa participação destas pessoas, tanto que tivemos um número excessivo de propostas para a nossa programação prevista, e por conseqüência criamos um banco de dados para contatos e o compromisso para futuras concretizações destas atividades. 

Contamos também com a mobilização direta de estudantes e o suporte indispensável de funcionários e docentes da Faculdade de Educação. É relevante apontar que tivemos um grande apoio institucional, da diretora em vigência, Dra. Selma Garrido Pimenta, e do Centro Acadêmico Professor Paulo Freire, gestão Roda-Viva, mesmo estes tendo ideais diferentes.
Realizada no mês de novembro de 2004, consistiu em apresentações culturais, oficinas e mesas de discussão, que buscaram proporcionar vivências artísticas e a reflexão destas, além do acesso a uma diversidade artístico-cultural. A presença de participantes nestas atividades foi bastante expressiva, revelando o grande interesse dos estudantes pela Arte-Educação e Cultura. 
Acompanhando esse movimento cultural, nesse mesmo ano, a Faculdade de Educação assistiu ao nascimento e às apresentações, em eventos da FEUSP, do conjunto musical chamado “Pedagogós”. A banda se projetou e realizou shows em outros espaços, mas teve seu passo inicial na FEUSP, onde recebeu acolhimento e apoio, e teve a oportunidade de amadurecer. 

Em 2005, foram iniciados encontros semanais sob a orientação do Profº Drº Marcos Ferreira Santos com o intuito de refletir questões acerca da Arte, Cultura e Educação. Inicialmente, os participantes deste grupo de discussão se restringiam aos seus orientandos de graduação. Posteriormente, estas reuniões passaram a integrar as atividades do Lab_Arte, passando a ser aberta a todos os envolvidos direta e indiretamente.
Ao final deste mesmo ano, professores, alunos e funcionários se uniram para organizar e vivenciar o “Fermentação”. Integração foi a palavra que norteou desta idéia. 
Essa movimentação surgiu de várias pessoas de diferentes segmentos da FEUSP que se uniram para pensar uma alternativa que colaborasse para uma real integração de quem participa do dia-a-dia da Faculdade. Assim, no dia 02 de dezembro de 2005, a idéia se concretizou num grande momento de comida e cultura, no horário do almoço, da forma mais espontânea possível. E realmente algo muito especial aconteceu. Brotaram sorrisos, cantorias, danças, papos, abraços, olhares, sentimentos, amizades, curiosidades, partilha. 

Ainda no ano de 2005, surgiu a iniciativa de formar um Grupo de Dança na FEUSP. De maio a novembro passou por um período de experimentação (que viria a ser consolidado com a implementação do Lab_Arte) através do contato com diferentes estilos e/ou formas de trabalhar dentro desta linguagem. Como Flamenco, Percepção Corporal, Cacuriá, Dança do Ventre, Jazz, Dança Contemporânea entre outros.

Este processo se deu de modo autogerido pelos alunos, ocorrendo dentro do espaço físico da Faculdade de Educação e da Escola da Aplicação, com o apoio da direção da FEUSP e do Centro Acadêmico Professor Paulo Freire, com orçamento inexistente. Encontramos algumas dificuldades para estruturá-lo como, por exemplo, a alta rotatividade dos participantes, ou mesmo a montagem do cronograma e sua divulgação.
Sua estrutura inicial com oficinas de diferentes gêneros de dança foi adotada como solução imediata à peculiaridade de um grupo tão heterogêneo. Esse tempo de experimentação foi fundamental para a nossa formação como um coletivo e a constituição de nossa identidade. Pois precisávamos deste tempo para que mais alunos da faculdade pudessem tomar conhecimento do grupo e se encorajassem a fazer parte dele.

Os responsáveis pelas oficinas eram pessoas capacitadas a ministrarem uma aula prática relacionada às artes do corpo. Muitas delas eram atuantes na organização do projeto também, as demais eram pessoas com as quais tínhamos contato, e que se dispuseram a compartilhar seus conhecimentos sem qualquer remuneração. 
Todos os oficineiros foram consultados com relação ao interesse em dirigir este grupo, visto que para uma segunda etapa do projeto (a qual se concretiza neste momento como parte do Lab_Arte), o mais adequado seria aprofundar uma única linha.
Os resultados que pudemos observar com essas experiências, indubitavelmente, são frutos de bastante valor. Muito aprendemos: desde a forma de como melhor lidar com os trâmites internos da faculdade (ofícios para reserva de sala, pedido de apoio da direção, professores e Centro Acadêmico), como divulgarmos as atividades, como estabelecer uma dinâmica saudável no trabalho em grupo.

Todas essas experiências sobressaltam a existência de um movimento de pessoas, de idéias, de realizações. Apontam à mesma busca, seguida de concretizações. Busca por uma experiência de criação, de conhecimento de si, de sentimento de coletividade. Convergem por realizá-la através da vivência artística compartilhada com o outro.

 

 

O LABORATÓRIO

No início de 2005, com o intuito de novamente experienciar essa busca, porém de forma ainda mais intensa, um projeto de Arte-Educação e Cultura foi idealizado – caracterizando-se por garantir o aprofundamento e a continuidade de suas atividades. Tratava-se da formação de grupos de vivências artísticas (como artes visuais, dança, música, teatro...) e de um grupo de discussão que refletisse a Arte-Educação e sua relação com a Cultura. 
A elaboração do projeto foi feita em janeiro deste ano, em um curto espaço de tempo visto a urgência em encaminhá-lo na reunião da Comissão de Graduação, para ser avaliado antes do início do ano letivo. Ele teve autoria de alunos do curso de graduação da FEUSP e estava sob a orientação do professor Dr. Marcos Ferreira Santos. Mesmo sem sua aprovação, iniciamos suas atividades no mês de março. 
A sua intenção é a de intensificar a vivência e a reflexão de seus participantes em diferentes linguagens artísticas – comunidade USP e comunidade externa – voltada à Arte-Educação e seu diálogo com as Culturas Populares. Para tanto, as atividades do Laboratório pretendem se consolidar em uma práxis reflexiva: grupos de vivência aliados a um grupo de discussão teórica. Possibilitando – dentro de um centro de formação de formadores, a Faculdade de Educação – um espaço de descoberta da importância da arte e do diálogo com outras culturas no percurso formativo da pessoa e, portanto, sua relevância imediata na formação do educador.
Nosso eixo norteador de 2006 foi “Do reencantamento de Si: passo a dentro”, ou seja, a possibilidade do conhecimento de si através da linguagem artística. Aliada a sua potencialidade de sensibilização da pessoa para o mundo e proporcioná-la a experimentação e o ato criativo.

 

 

OBJETIVOS

O Lab_Arte objetiva com suas atividades a promoção de um espaço onde os participantes tenham acesso a vivências artísticas contínuas e aprofundadas, relacionadas à Dança, Teatro, Artes Visuais e/ou Música, e à reflexão acerca destas e de seu diálogo com diferentes Culturas.

 

 

OS GRUPOS

O projeto tem como base um grupo de discussão sobre Arte-Educação e Cultura aliado a quatro grupos de vivência de linguagens artísticas (subprojetos em 2007)):
- Grupo de Dança;
- Grupo de Teatro; 
- Grupo de Artes Visuais;
- Grupo de Música.

Os grupos de vivência, direcionado por um Educador Monitores do laboratório, 
ocorrem uma ou duas vezes por semana em salas da Faculdade de Educação da USP, em dias da semana combinados previamente pela Comissão Organizadora do Lab_Arte. A opção em dividir estruturalmente o Lab_Arte justifica-se pelo intuito do projeto de dar garantia a cada uma das áreas supracitadas. Elas recebem um cuidado no que diz respeito de suas especificidades, permitindo a máxima exploração dentro da sua programação. Ou seja, esta formatação não significa a separação rígida das disciplinas, e sim a possibilidade de uma maior liberdade para cada um dos grupos, beneficiando assim todas as áreas pela rica experiência de intercâmbio entre as linguagens artísticas.
Cada um destes grupos apresenta características peculiares na forma de sua organização, dinâmica, pessoas responsáveis, cronograma e orçamento. Contudo, estão unidos pelo mesmo eixo temático que guia suas atividades ao longo do ano. 
Simultaneamente as atividades dos grupos práticos, marcamos um grupo de discussão com encontros pontuais para debate, que tratassem dos assuntos que permeiam as atividades em curso, como exemplo, o percurso formativo da pessoa e do educador. 
Uma intenção colocada em prática foi a de eventos no final do ano para apresentações artísticas trazendo aquilo que foi trabalhado, tanto nas vivências práticas quanto teóricas, com o intuito de compartilhar este conhecimento e divulgar nossas atividades. Possivelmente, este ano, sob a configuração de uma II Semana da Arte na Educação.

 

 

A COMISSÃO ORGANIZADORA

Foi constituída no decorrer da consolidação do projeto uma Comissão Organizadora que se responsabilizou pela viabilização da fase experimental do Grupo de Dança e a seguinte elaboração do projeto do Lab_Arte. Essa comissão tem como função promover o desenvolvimento de cada subprojeto, lidando com os trâmites burocráticos da instituição, organizando o cronograma das atividades, divulgando eventos, reservando materiais e salas, convidando profissionais para contribuírem na programação, planejando o orçamento, se responsabilizando por possíveis problemas que ocorram relacionados ao Lab_Arte e participando das reuniões bimestrais para avaliação e planejamento.

OS ALUNOS MONITORES

Os alunos monitores são estudantes e recém-formados em pedagogia, que contribuíram na formação inicial do projeto e que se propuseram a atuar monitorando um subprojeto de sua escolha. Assumiram essa função por mostrarem interesse e por já possuírem uma experiência significativa na área em que atuam.
Estes alunos, além de fazerem parte da Comissão Organizadora e, portanto, encarregarem-se das funções acima descritas, acompanham as aulas práticas e o Grupo de Discussão, promovem - quando possível - um registro visual, ou de outra natureza, das atividades, controlam a lista de presença dos participantes e elaboraram um relatório para ser entregue ao final das atividades do ano.

 

 

O DOCENTE RESPONSÁVEL

Um dos aspectos constituintes do Lab_Arte colaborador da integração dos subprojetos é a atuação do Docente Responsável. Sua participação é referente à orientação na administração do projeto junto aos alunos monitores e a contribuições no âmbito teórico de nossas reflexões. O Docente Responsável foi escolhido pela sua afinidade com o projeto e pela demonstração de apoio à sua constituição desde os primeiros momentos aqui descritos:
• Profº Drº Marcos Ferreira Santos,
do EDA - Departamento de Administração Escolar e Economia da Educação

www.marcosfe.net

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

No impulso humano de buscar fontes que saciem nossos anseios, o Lab_Arte se propõe a pesquisar e produzir arte e se relacionar com diferentes culturas, acolhendo não somente educadores em processo de formação, mas seres humanos em busca de vivências que possibilitem o exercício de um olhar mais sensível diante do mundo e de si mesmo. 
Demos nosso primeiro passo com a criação do Grupo de Dança e Teatro, ainda com aquele frio na barriga de se estar diante do novo e incerto. O movimento é trêmulo, a vibração reverbera e dilata os poros, abrem-se possibilidades: um passo à frente é possível. A sensação do pé que pisou vitoriosamente não oculta a nova hesitação frente ao porvir. Corrente turbilhão de prazeres e receios pulsa nas veias. A ideia da ampliação do conjunto das linguagens artísticas neste ano de 2007, incluindo Artes Plásticas e Música, e do nosso espaço de ação para além da Faculdade de Educação traduz-se assim.

(2007)

Alunos e alunas fundadoras do Lab_Arte:
Débora (chu) Silva Carvalho, monitora do núcleo de Dança
Carolina Freire Antunes, monitora do núcleo de Artes Visuais
Juliana Oki Gomes, monitora do núcleo de Artes Visuais
Julia Henning, monitora do núcleo de Teatro
Thais Medeiros, monitora do núcleo de Teatro
Vinícius Medrado, monitor do núcleo de Música
Marília Lemos, monitora do núcleo de Música

Núcleo Narração de estórias - criado pela Prof. Dra.Fabiana Rubira 

saiba como foi o início